terça-feira, 27 de novembro de 2012

Poemas de Aleixo - 16ª quadra

Tal qual me sucede a mim:
sem ter vulto, sem ter voz,
vive qualquer coisa em nós
que manda fazer assim.

Sem comentários:

Enviar um comentário